O que é calço hidráulico e como evitá-lo? Confira

6 minutos para ler
Planilha Cálculo de Frete

Quando o veículo trafega em áreas com muita água, um dos problemas que pode acontecer é o calço hidráulico. Dependendo da circunstância, é possível até mesmo ocorrer a perda total do motor, em decorrência da quebra de algumas peças. Logo, é um problema que não deve ser ignorado e requer alguns conhecimentos básicos para ser resolvido.

Ao longo do artigo vamos explicar melhor o conceito de calço hidráulico, destacando os principais cenários em que ele pode acontecer. Além disso, daremos dicas de como evitar e o que fazer caso ocorra esse tipo de coisa. Para entender o assunto e não ter dor de cabeça na estrada, continue a leitura até o final!

O que é calço hidráulico?

Geralmente, o calço hidráulico ocorre quando entra água ou combustível no sistema do motor, de modo a comprometer o funcionamento dos cilindros e pistões. Ao contrário do ar que pode ser comprimido, a água e outros líquidos não têm essa propriedade. Na prática, isso significa que o movimento de subir e descer dos pistões ficará comprometido, causando a parada súbita do carro ou pouco tempo após a ocorrência do calço hidráulico.

Além da água e do combustível, outro líquido que pode entrar no motor e causar o calço hidráulico é o óleo lubrificante. Uma das possibilidades é que o anel esteja queimado, permitindo a entrada desse óleo no sistema que envolve cilindros e pistões.

Como evitar o calço hidráulico?

De modo geral, evitar o calço hidráulico consiste em verificar com frequência os três fluidos que podem causar o problema: água, combustível e óleo. Portanto, estar com as manutenções do veículo em dia já ajuda bastante a minimizar esse risco, fazendo as peças e o próprio motor terem uma vida útil maior.

Não andar em áreas alagadas

Para evitar o trânsito em vias com muita água, é recomendado saber previamente as condições das ruas e avenidas por onde o veículo vai passar. Se choveu ou caiu uma chuva muito forte, por exemplo, o risco de entrar água no motor é muito alto, sendo que os pistões e cilindros costumam ser atingidos primeiro.

Reduzir a velocidade

Quando o veículo está em alta velocidade e entra em contato com a água, a tendência é esta entrar com ainda mais rapidez no motor. Por outro lado, quando o condutor dirige com marcha baixa e pouca velocidade, é possível atenuar os danos de um calço hidráulico.

Usar a aceleração

Mesmo com a velocidade baixa, usar o pedal de aceleração diminui o risco de a água entrar no motor do veículo. A ideia também é evitar a troca de marchas, visto que, na prática, essa combinação de marcha baixa e aceleração constante faz os gases do escapamento funcionarem como uma barreira, impedindo a entrada de água no motor.

O que fazer se o calço hidráulico acontecer?

De fato, nem sempre é possível evitar o calço hidráulico. Dependendo da situação, é possível reverter o problema sem grandes custos; já em outros, o motor pode sofrer grandes danos e, até mesmo, dar perda total. Nas subseções seguintes, preparamos alguns procedimentos corretivos para o caso de acontecer o calço hidráulico. Confira!

Trocar a junta do cabeçote

Quando está em boas condições, a junta do cabeçote evita que a água e o óleo do motor entrem nas câmaras de combustão. No entanto, com o passar do tempo, é inevitável que a peça sofra desgaste e cumpra o seu papel com menos eficácia, aumentando o risco do calço hidráulico.

Muitas vezes, ocorrem danos na biela do motor quando o calço hidráulico é causado por problemas na junta do cabeçote. Não obstante, o pistão paralisa e deixa de fazer o movimento de subir e descer, visto que os líquidos, diferente do ar, não podem ser comprimidos. Em certos casos, outros componentes do motor também podem sofrer danos, sendo importante levar o veículo a uma oficina e pedir ao mecânico que troque a junta do cabeçote.

Verificar os bicos injetores de combustível

O bico injetor, ou válvula injetora de combustível, é responsável pela dosagem de combustível que chega aos cilindros e pistões do motor. Na prática, a finalidade deste componente é ajudar a fazer uma boa mistura entre ar e combustível.

Dito isso, os bicos injetores têm relação direta com a presença de ar na mistura com o combustível e, por consequência, na movimentação correta dos pistões. No momento em que os bicos ficam abertos, eles começam a esguichar combustível, de modo a entrar na câmara de combustão. Dependendo do grau de dano na válvula injetora, pode ser preciso apenas fazer uma limpeza, ou em outros casos, fazer a manutenção ou substituir o componente.

Retirar as velas

Assim como os bicos injetores, as velas são fundamentais no funcionamento do motor, responsáveis por gerar a energia necessária ao movimento do pistão. Logo, quando o componente apresenta um mau funcionamento, é possível que aconteçam problemas como o calço hidráulico.

Quando esse problema não puder ser evitado de jeito nenhum, o ideal é parar o veículo. Dessa forma, danos maiores ao motor e outras peças são evitados, sendo que em alguns casos, expelir a água ou o combustível da câmara de combustão já é suficiente. O condutor só deve colocar a chave na ignição quando estiver convicto que nenhum líquido vai atrapalhar o movimento dos pistões e comprometer ainda mais o motor do veículo.

Caso se tenha algum conhecimento e experiência em mecânica, é possível retirar as velas e expulsar os fluidos do motor. Com as velas retiradas, elas podem ser limpas com lixa e óleo, sendo também preciso desconectar o terminal da bateria. Além disso, é necessário usar uma chave para remover os fios dos dispositivos ligados às velas. Vale destacar que o transporte de cargas pesadas influencia bastante no desgaste desse componente, causando:

O calço hidráulico é um problema decorrente da entrada de água, combustível e outros fluidos na câmara de combustão. Como vimos, ele pode danificar seriamente as peças do motor, causando a parada quase que imediata do veículo, sendo recomendado, entre outras coisas, evitar áreas alagadas ou, se não for possível evitar, trafegar em baixa velocidade, com marchas baixas e constantes e tentando acelerar.

Você já se deparou com o calço hidráulico ou conhece alguém que passou pelo problema? Deixe o seu relato nos comentários!

Mecânica do caminhão: você sabe tudo que precisa?
Você também pode gostar

Deixe um comentário